Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Associação IPSUM Home

Somos uma associação sem fins lucrativos reconhecida pelo Banco de Portugal, Direção-Geral do Consumidor e pertencemos à Rede de Apoio ao Consumidor Endividado.

Associação IPSUM Home

23.Out.18

Orçamento Financeiro Familiar - GUIA

2018-10-23 Orçamento Financeiro Familiar.jpg

Nem só o governo tem orçamento. Este é uma das nossas maiores preocupações. As famílias também os devem elaborar, de preferência com a colaboração de todos os elementos da família. Serve de disciplina, de educação e de responsabilidade.

Controlar as despesas com base nos rendimentos auferidos garante o futuro e permite estabilidade.

O Banco de Portugal disponibiliza no seu site - TODOS CONTAM - ferramenta que ajuda a elaborar o seu orçamento, envolvendo toda a família, 

    

Ao longo dos próximos dias iremos apresentar as nossos conselhos e orientações

 

  • Identificar os ganhos e os gastos

 

O primeiro passo que temos de identificar é o valo que cada pessoa do agregado familiar aufere. É com base na receita, nos ganhos, no que se recebe, que temos de elaborar o plano orçamental. E também aqui, TUDO E TODOS CONTAM. TUDO que seja receita, que signifique valor financeiro independentemente de onde advém, TODOS os elementos do agregado familiar. É importante considerar dois tipos de receitas. As fixas e as variáveis, caso existam.

Já no capítulo das despesas devemos desde logo dividi-las em dois tipos de categorias. As necessárias e as supérfluas.

As necessárias, como por exemplo a alimentação, a casa….e as supérfluas que são por exemplo custo com bens de entretenimento. 

Mas também aqui há despesas fixas e outros variáveis que devemos considerar. Por exemplo, a prestação da casa é praticamente constante, enquanto que as despesas do supermercado são variadas.

Quanto mais elevadas são as despesas fixas, mais difícil se torna contornar as dificuldades se acontecer uma quebra de rendimentos.

 

 

  • Situação Financeira

 

Quando se elabora, se escreve, se faz as contas de um orçamento, rapidamente percebemos se o saldo é positivo ou negativo. 

Se for negativo, será necessário analisar as despesas variáveis e reduzir nesses custos, uma vez que não pode gastar mais do que recebe.

Mesmo que o saldo seja positivo poderá fazer um exercício complementar de poupança e aumentar esse saldo, prevenindo situações imprevistas.

 

  • Calcular a taxa de esforço

 

A taxa de esforço demonstra a capacidade que as famílias tem de assumir um crédito. É o valor/percentagem destinada a pagar os créditos. 

A taxa de esforço calcula-se segundo a fórmula:

Taxa de esforço = (Encargos financeiros mensais / Rendimento) x 100

 

 - Estabelecer objetivos

O orçamento familiar não se destina apenas a gerir as contas do dia a dia. É importante que as famílias definam metas e previnam o futuro. Se por um lado pode acontecer um imprevisto difícil de ultrapassar, por outro lado ha despesas que sabemos que acontecerão no tempo, como por exemplo acesso a faculdade por parte dos elementos mais novos do agregado familiar.

 - Conselhos

Apenas um, e poderá contar com a nossa ajuda. Faça um orçamento. Faça o seu orçamento, mas envolva toda a família. Máximo de responsabilidade e de envolvência. Neste orçamento não se esqueça se colocar uma pequena parcela de poupança, para salvaguardar constrangimentos e preparar futuro.